Imprescindível: Mercedes Sosa


Crédito: Google Imagens

Esta postagem está fora das temáticas centrais deste blog. Mas não poderia deixar de comentar a perda da cantora argentina Mercedes Sosa. Aos 74 anos, faleceu em Buenos Aires.

Nascida em 1935, Mercedes Sosa lançou dezenas de álbuns e cantou o folclore e as lutas da Argentina e da América do Sul. Exilou-se na Espanha durante a ditadura militar e, também por lá, fez grandes amigos e admiradores.

Ao cantar Sueño con Serpientes, em parceira com Mílton Nascimento, Mercedes iniciava citando os famosos versos de Bertolt Brecht:

Há aqueles que lutam um dia; e por isso são bons;

Há aqueles que lutam um ano; e por isso são melhores;

Há aqueles que lutam por muitos anos; e são muito bons;

Porém, há aqueles que lutam toda a vida; esses são os imprescindíveis.

Desde meu primeiro contato com as músicas de Mercedes Sosa, percebi que imprescindível era a convivência com sua voz. Uma cantora latina e única no meio de tantas vozes pop do inglês que domina nossas rádios e nosso cotidiano.

Mercedes Sosa faleceu na manhã de domingo, 5 de outubro. Só soube de sua morte no final da tarde. Diferentemente da perda de outras vozes, esta me foi mais serena. Já ausente dos palcos de forma assídua nos últimos anos, sua saúde, aos 74 anos, estava bastante frágil. Após a internação e os agravamentos decorrentes, sua morte não tardou.

Crédito: agência EFE

Crédito: agência EFE

Como alguém que passa horas ouvindo a incrível voz de Mercedes Sosa, gostaria de deixar alguns vídeos de interpretações dela aos que se interessarem em (re) ouvi-la. A carreria de La Negra, como era conhecida internacionalmente, está repleta de grandes músicas, incríveis duetos e incontáveis CDs. Mais de quarenta anos de carreira não caberiam numa curta postagem.

Abaixo, algumas das interpretações que mais ouço e adoro.

Em 2006, já debilitada, mas com sua voz impecável e irretocável, cantando Volver a os 17:

Gracias a la vida, tivemos o privilégio de conviver com essa grande cantora. Triste perda física, mas a memória de Mercedes Sosa fica eterna por meio de sua voz e ativismo.

Anúncios

Sobre Luiz Henrique

Ativista, professor e pesquisador. Interessado em direitos humanos, política, mídia e movimento LGBT. Tenho mestrado em Comunicação e Cultura pela UFRJ.

Publicado em 6 de outubro de 2009, em vídeos e marcado como , . Adicione o link aos favoritos. Deixe um comentário.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: